quinta-feira, 29 de julho de 2010

Nem sempre!


Nem sempre tudo se encaixa. Nem toda flor tem cheiro bom, nem todo quebra-cabeça tem todas as peças, nem todos os passarinhos podem voar, nem toda esperança é a última que morre.
Nem todo caminho tem flores, mas todos tem pedras, buracos, montanhas, falhas.
Nem sempre falar é mais fácil do que fazer... Nem sempre é fácil ser forte.
Nem toda música tem uma bela melodia, nem todo abraço acalma nossa alma. As vezes, o próprio abraço foge da sua verdadeira intenção de abrigo e nos faz sentir perdidos, sem proteção, dizendo um adeus.
Todo nascer do sol é fantástico, nem todo mundo sabe disso. Nem todo sorriso expressa felicidade, nem todo sorriso é verdadeiramente profundo.
Nem todo dia a gente ta animado, nem todo dia sonhar é bom, nem toda vez estou certa do que eu quero.
Nem todo "Bom dia" é realmente um desejo de que aquele seja um dia bom. Nem toda palavra pode ser levada ao pé da letra.
Nem toda foto captura algo bom, nem todo mundo sabe dar valor para uma pessoa realmente especial.
Todo mundo sente saudade. Saudade do tempo que passou, saudade das pessoas que se foram... Saudade das oportunidades perdidas.
Nem todo mundo sabe a sensação de ler um bom livro, ouvir boas reflexões da vida e refletir sobre a própria vida.
Nem todo mundo entende o que a gente quer dizer. Nem sempre entendo o que eu quero dizer.
Nem todo mundo enxerga que um erro pode ser visto como motivação, que a vida nos permite tentar e tentar de novo, sem rir da nossa cara se não vencermos um ou outro desafio do dia a dia.
Nem todo dia eu paro pra pensar na vida, nem toda vez penso no que falo, nem toda pergunta eu sei responder, e isso eu não vou saber nunca.
Não é todo mundo que mostra o que sente, mas todos sentem. Todos sentem. Todo mundo sabe onde o calo dói.
Todos cometemos erros, sempre, mas não é todo mundo que está disposto a tentar de uma forma diferente, e com isso, prefere sempre errar, sem culpa.
Todo mundo fica indignado com a robalheira que eles mostram na tv, nem todo mundo muda alguma coisa, nem todo mundo percebe que já se acomodou, tranquilamente.
Nem sempre sei agir com maturidade, sem sempre sei ser legal ou inteligente. Nem sempre consigo ficar bem, nem sempre sou sorridente.
Nem sempre sei lamentar, nem sempre gosto de chorar, nem sempre ligo pras besteiras que eu falo e ouço.
Agora, estou feliz por poder ser sincera e estar aqui escrevendo o que eu quero escrever. Nem sempre vou dar valor pra isso.
A única coisa que é constante é a nossa mudança. Um dia eu penso isso, outro dia acho que eu tava louca. Ainda bem que a gente muda... ou, nem sempre.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

T é d i o .


Quando o tédio bate o que a gente faz?
As vezes a gente fica numa boa, meio a toa, sem muita coisa pra pensar.
Bate o tédio, bate a preguiça, bate a solidão. Em mim bate e bate forte.
Tem dias que me sinto muito bem quando estou assim, com tempo pra mim,
pra pensar na minha vida e fazer as coisas que me fazem bem. Mas nem sempre
tenho essa sensação de "estar bem" e me sinto meio fora do lugar.
Como se as vezes faltasse coisas, tivesse incompleto e o relógio... Hum, o relógio para!
Fica estabilizado, fica parado, cheio de orgulho, querendo me provocar.
Insisto em fazer algo, ler alguma coisa, escrever um texto... Mas tem dias que não sai nada, o tédio me domina e eu fico ali, afundada no nada.
Confesso que nem sempre quero um tempo livre assim e quando consigo sem querer, fico pensando bobagens, cheia de vontade que o tempo passe. Demora, mas ele passa.
Depois, tudo fica bem, sempre bem.
Duvido que alguém nunca tenha se sentido assim, talvez nao da mesma forma, mas a mesma sensação.
Vai dizer que não dá um tédio, uma vontade de fazer algo e nem sabe o que.
mas, quando não temos tempo nem pra respirar direito, bem que dá saudade dessa sensação de "to a toa".
hahahahaha, vai entender. Vai me entender! Vai te entender!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Vem do alto

Hoje tive a oportunidade de presenciar uma cena cativante.
Quando fui ao médico me deparei com algo que nunca tinha visto. Na clínica que eu fui são feitas sessões de fisioterapia. Assim que a secretária me atendeu, chegou uma mulher com uma menina no colo, com alguma deficiência que não sei qual é.
A menina era linda, era alegre e espontânea. Quando o médico a viu, conversou com ela normalmente e naquele momento eu me senti limitada... Limitada porque eu fiquei calada... Eu não conversei com ela, nao disse como era linda e que a sua alegria me contagiava. Me senti limitada por sentir vontade de chegar mais perto, mas nao o fiz.
Depois de falar com ela, o médico pegou a garotinha no colo, como um pai carinhoso, cheio de amor. Conversou com ela, balançou ela e fez ela se sentir bem, mesmo indo para uma sessão de fisioterapia chata e cansativa.
Aquele médico me fez pensar no que realmente vale a pena. Com aquele gesto singelo ele conseguiu me mostrar que seguiu o que seu coração mandava, me mostrou que resolveu fazer na vida aquilo que lhe dava prazer, seguir o dom que Deus havia lhe dado.
Fico aqui imaginando a felicidade que a garota sentiu, já que sua euforia deixava isso muito claro. Fico imaginando a cabeça daquele médico na hora de ir dormir, lembrando de como foi seu dia e dormindo tranquilo por ter feito tudo com carinho.
Lógico, não sei se ele é assim todos os dias, se as vezes bate o cansaço e o desânimo e ele tem vontade de deixar tudo pra lá... Mas sei que hoje, ele me fez refletir...
Me fez pensar como seria bom se todas as pessoas seguissem o seu coração e fizessem aquilo que elas realmente gostam...
Teríamos mais médicos dedicados, os melhores professores, os melhores taxistas, os melhores desenhistas, melhores em qualquer área. Por mais difícil e complexa que ela seria...
E o dinheiro... Ah! o dinheiro... O dinheiro seria uma consequência de um bom trabalho. Seria uma espécie de "recompensa" pelo esforço. Mas, se bem que pensando melhor, quer melhor recompensa do que acordar todos os dias e ficar feliz, por poder fazer algo que gosta e se dedicar sem medo?
Hoje essa cena me fez pensar no que estou fazendo para, além de mim, proporcionar a felicidade das pessoas com o meu trabalho, com o meu esforço.
Sei que as chances daquele médico ler isso são muuuuuito remotas... Mas se ele pudesse ler, eu gostaria que ele soubesse como uma atitude tão singela pode fazer toda a diferença, pode fazer algo tão difícil se tornar mais fácil, e trazer esperança.
Me trouxe esperança... me trouxe esperança...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Uma joia rara. Raríssima.


As vezes, coisas tão bobas que acontecem no nosso dia a dia, nos rendem pensamentos, conclusões e, no meu caso, um texto!
Certas coisas a gente carrega desde que nossa personalidade começa a se formar... Algumas coisas a gente vai aprendendo com o tempo, como aprender o que é certo e o que não é, a desenvolver sua maturidade, seu raciocínio... Mas algumas coisas não tem jeito, tá com a gente e ponto.
Tem certas coisas que nem é mais questão de ponto de vista, não tem o que ajeitar... Ou tem?
As vezes as atitudes das pessoas me deixam muito confusa. As vezes a gente faz uma coisa e fala outra, quem é que nunca fez isso sem ao menos perceber? todo mundo faz.
Ta, somos humanos, falhamos e pronto. Todo mundo erra, nao adianta fazer careta e pensar: "Ah, eu nunca fiz isso", faz sim, e ta fazendo agora pensando isso! ;)
Há certas coisas que não tem como cobrar das pessoas, porque elas não têm!
Pronto, fácil e simples assim! Elas não têm.
E o pior é quando ela nao sabe disso!!! (não sabem? sei!)
Ta, chega de enrolação...
To falando de CARATER.
To falando daquela joia rara que muitos dizer ter, mas nao tem: HONESTIDADE!
Você aí, você é honesto?
Você tem caráter?
Sei lá, é tão difícil conviver com pessoas que fazem o que for por interesses pessoais... Não estão preocupadas se as pessoas tem sentimentos, vontades, desejos, projetos, se elas tem VIDA PRÓPRIA.
Não, não importa nada disso. Eu vou fazer, não importa se estou sendo desonesto com alguém, eu quero é ser feliz \o/
Felicidade oca!
Felicidade vazia, sem base, sem sustentação...
Porque é uma "felicidade" momentânea, não tem raiz...
Eu não sei porque os valores estão tão distorcidos, não sei porque isso tá tudo errado...
E o que deixa mais indignação é o teatrinho. É aquela sensação de que nada está acontecendo e você está surtanto...
É complicado.
Não adianta, certas coisas não tem como mudar, ou se tiver, as pessoas não estão nem aí pra isso...
Eu só sei que esse tipo de coisa é de cada um, é questão de cada um parar e pensar... Não tem como pegar um martelo, abrir a cabeça da pessoa e enfiar isso lá.
É aquela velha história da Flor da honestidade... Sem dúvidas, se isso fosse feito nos dias de hoje, iriam aparecer as mais belas flores... Flores vazias, sem pureza.
Com certeza tenho muito o que aprender, tenho muito o que entender...
COm certeza...

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Minhas fotos de volta \o/


Andar de skate com você Gi ♥ → → →
"E se eu tiver afim..." ↑

Sítio do meu avô ♥ → → →

Tedy *-* Saudades! ↑

← ← Jaboticabaas *----*

Estou aqui, ouvindo uma música calma e relaxante. Não sei o que ela diz e nem quero saber, apenas quero ficar aqui imaginando o que vier a cabeça e deixar tudo criar asas.
Ultimamente minha vida tem estado tão boa... Sim, "são os ventos da mudança".
Hoje, posso sentar e escrever tranquila, posso assistir um bom filme, ler meus e-mails e tudo sem muita pressa. Férias, ah, as férias!
Logo logo minha vida boa acaba, mas enquanto não acaba, vou disfrutando um pouco mais.
Estou feliz, feliz mesmo. Andei passando por fases difíceis, mas elas passaram, como tudo na vida. Não vou dizer que é fácil, isso seria hipocrisia depois te tudo, mas eu consegui sobreviver.
É ruim passar por certas coisas, mas, as vezes, é até necessário. Ninguém quer nascer e morrer imaturo, sem experiência. Eu pelo menos não quero não.
Mas, deixa esse assunto pra lá, já passou e nem sei se vale a pena relembrar de tudo.
Nos últimos dias algumas coisas me tiraram do sério. Cada um é cada um, mas falta de caráter é intolerável. Não tenho muita paciência com isso, mas talvez também seja outra coisa que devo irrelevar agora.
Estou passando aqui só pra deixar registrado como minhas férias estão boas, apesar do tédio que bate as vezes. Sou muito elétrica pra assistir televisão, nem sempre consigo. Ainda mais tanta porcaria que tem passado, ah, enche o saco. Rsrsrs
Nao, nao estou irritada, não estou brava e nem com falta de paciência... Eu sou assim mesmo, nem tem como explicar, hahahaha =D
Ah, hoje encontrei um cd com algumas fotos que foram tiradas há algum tempo... Me bateu uma saudade de tanta coisa, relembrei alguns momentos tão bons, que com a correria do dia a dia nem tem como lembrar. Foi bom ver tanta coisa legal, ver que não tinha perdido o cd e que vou poder olhar as fotos sempre que a saudade apertar... Uma forma de conforto, talvez.
Pra falar a verdade, tem algumas fotos que eu nem me lembrava mais... Aí, é melhor ainda...
Mas, uma coisa estranha, é que no momento em que bati as fotos, eu nao tinha coisas que eu tenho agora, assim como eu tinha coisas que eu nao tenho mais. E ambas me fizeram muita falta... Como se agora me deixassem sentir incompleta.
Eu sei que nunca teremos tudo, que a vida muda, que tudo é assim e blablablabla... Mas bem que dá vontade de juntar tudo e saber como é.
Enfim, estou feliz por ter as fotos de novo, por ter chegado até aqui e por continuar adiante!
Vou colocar alguma(s) foto(s) pra deixar aqui guardadinho ;)
I feel good =)

sexta-feira, 2 de julho de 2010

E quem vê de outra maneira?



Hoje, uma pessoa me disse que eu me acho e que sou mesquinha. Disse que não tenho humildade e o que me diferencia dela, é que ela é mais humana do que eu.
Que talvez mudaria de ideia com relação à mim, se um dia eu fosse pro hospital arrebentada por tentar pegar um gatinho em uma árvore e ela, na condição de enfermeira, fizesse meus curativos.
A pessoa que disse isso não faz diferença nenhuma na minha vida, não é querida por mim, nem amiga, nem me presenteia no meu aniversário.
Quem me disso isso, disse que me conhece, por já ter estudado comigo e por ter feito teatro, mas nunca me deu um abraço e nem me perguntou porque eu chorava em algum dia difícil.
Não conhece minha família, não conhece meus sonhos e nem sabe que música eu escuto para relaxar. Quem me disse isso, nunca foi comigo ao cinema, não me deu a mão quando eu caí, e nem me consolou quando perdi alguém que eu amava...
Quem me disse isso me viu nervosa por algo que deu errado, chateada por um motivo qualquer e rindo demais por uma coisa insignificante, para ela.
Me viu engrandecida por uma vitória, com orgulho por um trabalho bem feito e mandona por algo que não estava bom. Me viu opinar, me viu brigar, me viu exaltada e cheia de mim. E não me viu depois de tudo. Foi embora, com a ideia correta, mas isolada, sem nada mais pra complementar. E isso basta, não basta?
Quando você vê uma pessoa fazendo algo que "você não faz" não te deixa indignado? Você, automaticamente, já não fica com uma certa distância e acha que jamais vai se aproximar daquela pessoa?
Eu sim. Mas isso basta para dizer que conhece e não gosta?
Muitas pessoas gostam de mim. Muitas pessoas me querem bem e torcem para que eu vença na vida...
Aquela pessoa que já me ajudou, já me viu fraquejar, chorar, desanimar, com certeza, não me acha desumana.
Quem já me viu batalhando, certamente, não pensa que tenho tudo nas mãos e que me engrandeço por isso. Quem já me viu cair e seguir em frente, certamente, não vai achar que sou orgulhosa quando eu finalmente conseguir chegar lá.
Mas, existirão sempre as pessoas que me veem como terra árida, improdutiva e outras como um lindo campo florido.
Posso julgar quem não gosta de mim? Não.
Posso julgar quem gosta de mim? Não.
O máximo que eu posso fazer é ter personalidade, não ser uma zé-maria que faz tudo para agradar os outros sem me importar comigo e com meus ideais, e saber que TODAS AS PESSOAS SÃO DIFERENTES, UNICAS E ESPECIAIS.
Podemos ter ideias em comum, mas jamais, jamais, seremos iguais.
Posso não ter humildade para uns e ser humilde para outros.
Posso não ser humana para uns e ser muito humana para outros.
Mas, com toda certeza, serei eu mesma, querendo ser melhor para mim, para as pessoas que me amam e para Deus, que é o único que conhece meu coração, meus pontos fracos e meus pontos fortes.
Que é o único que pode me mostrar qual caminho devo seguir, qual buraco devo tapar e que lado de mim deve renascer todos os dias.