quinta-feira, 29 de julho de 2010

Nem sempre!


Nem sempre tudo se encaixa. Nem toda flor tem cheiro bom, nem todo quebra-cabeça tem todas as peças, nem todos os passarinhos podem voar, nem toda esperança é a última que morre.
Nem todo caminho tem flores, mas todos tem pedras, buracos, montanhas, falhas.
Nem sempre falar é mais fácil do que fazer... Nem sempre é fácil ser forte.
Nem toda música tem uma bela melodia, nem todo abraço acalma nossa alma. As vezes, o próprio abraço foge da sua verdadeira intenção de abrigo e nos faz sentir perdidos, sem proteção, dizendo um adeus.
Todo nascer do sol é fantástico, nem todo mundo sabe disso. Nem todo sorriso expressa felicidade, nem todo sorriso é verdadeiramente profundo.
Nem todo dia a gente ta animado, nem todo dia sonhar é bom, nem toda vez estou certa do que eu quero.
Nem todo "Bom dia" é realmente um desejo de que aquele seja um dia bom. Nem toda palavra pode ser levada ao pé da letra.
Nem toda foto captura algo bom, nem todo mundo sabe dar valor para uma pessoa realmente especial.
Todo mundo sente saudade. Saudade do tempo que passou, saudade das pessoas que se foram... Saudade das oportunidades perdidas.
Nem todo mundo sabe a sensação de ler um bom livro, ouvir boas reflexões da vida e refletir sobre a própria vida.
Nem todo mundo entende o que a gente quer dizer. Nem sempre entendo o que eu quero dizer.
Nem todo mundo enxerga que um erro pode ser visto como motivação, que a vida nos permite tentar e tentar de novo, sem rir da nossa cara se não vencermos um ou outro desafio do dia a dia.
Nem todo dia eu paro pra pensar na vida, nem toda vez penso no que falo, nem toda pergunta eu sei responder, e isso eu não vou saber nunca.
Não é todo mundo que mostra o que sente, mas todos sentem. Todos sentem. Todo mundo sabe onde o calo dói.
Todos cometemos erros, sempre, mas não é todo mundo que está disposto a tentar de uma forma diferente, e com isso, prefere sempre errar, sem culpa.
Todo mundo fica indignado com a robalheira que eles mostram na tv, nem todo mundo muda alguma coisa, nem todo mundo percebe que já se acomodou, tranquilamente.
Nem sempre sei agir com maturidade, sem sempre sei ser legal ou inteligente. Nem sempre consigo ficar bem, nem sempre sou sorridente.
Nem sempre sei lamentar, nem sempre gosto de chorar, nem sempre ligo pras besteiras que eu falo e ouço.
Agora, estou feliz por poder ser sincera e estar aqui escrevendo o que eu quero escrever. Nem sempre vou dar valor pra isso.
A única coisa que é constante é a nossa mudança. Um dia eu penso isso, outro dia acho que eu tava louca. Ainda bem que a gente muda... ou, nem sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário