sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Grande dia!

Poxa vida, hoje estou muito feliz porque consegui aproveitar cada instante do meu dia e conquistei um dia lindo.
Fui na APACN à tarde ( pra quem não conhece o lugar e o que acontece lá, lá vai o site: www.apacn.org.br), um lugar que quero, com toda certeza, voltar mais vezes. Essa tarde, que eu tive um contato direto com crianças com câncer, pude perceber o quanto nós, pessoas "saúdáveis" (as aspas são muito oportunas, já que em determinados momentos da vida, a gente se pergunta se somos mesmo saudáveis de mente, de corpo, quando deparamos com pessoas com doenças, mas que possuem um sorriso no rosto. Quando lembro do mau humor das pessoas, e o meu também, me pergunto quem é mais saudável.) nos limitamos a nós mesmo e passamos a ser egoistas também! Pessoas precisam de nós todos os dias. Precisam da nossa disposição, do nosso trabalho, da nossa saúde, da nossa ajuda; e nós? Simplesmente damos uma risadinha sem graça e afirmamos não "ter tempo nem para respirar direito".
Com certeza foi uma experiência mais do que especial pra mim; passar a tarde com quem tem tanto amor pra dar.
Depois, assim que cheguei em casa, recebi uma notícia maravilhosa, que nao vou colocar aqui, desculpem =/, mas que apenas deixou meu dia valer ainda mais a pena.
Porque valeu a pena! Acordar cedinho, mesmo com um pouco de sono e abrir o coração para ter um grande dia.
Como estou fazendo uma reportagem fotográfica com as crianças da APACN, vou colocar aqui algumas fotos.
Grande abraço, grande experiência, grande notícia, grande dia!

(Obs.: As fotos que não aparece o rostinho da criança é por que não obtive autorização para veicular sua imagem)






Caroline (esquerda), Janete (direita). Mãe, filha e a luta pela mesma causa.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010




Eu entendi que o mundo pode estar uma bagunça, estar com as coisas fora do lugar... Mas posso correr para dentro de mim quando nada der certo. E me refugiar lá dentro, onde consigo descansar.
Também compreendi que posso ter o melhor emprego do mundo, os melhores amigos, os melhores pais, o melhor namorado, posso estudar no melhor lugar do mundo... Mas enquanto as coisas dentro de mim estiverem machucadas, vulneráveis e inseguras, nada do que está lá fora pode me deixar feliz.
Hoje, depois de toda tempestade, já posso sorrir e descansar dentro de mim, onde eu consigo ficar bem comigo mesma. E ter um instante só para mim. Um momento só meu.
"Um dia você aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar para trás.
Portanto, plante seu jardim e decore sua alma, ao invés de esperar que alguém lhe traga flores. E você aprende que realmente pode suportar... que realmente é forte, e que pode ir muito mais longe depois de pensar que não se pode mais. E que realmente a vida tem valor e que você tem valor diante da vida!"
(Shakespeare)

sexta-feira, 15 de outubro de 2010


É quando eu acordo com a consciência meio atrapalhada e respiro, acordo de novo, respiro, acordo mais uma vez e, finalmente, percebo:

HOJE É SEXTA-FEIRA.

E aí me lembro porque eu gosto tanto desse dia... Sexta é amor no ar ♥.

Sexta-feira tem um gostinho diferente, um tom mais claro, um sabor mais evidente pra mim.
Boooooom dia vida!!! Hoje eu te amo mais uma vez.

domingo, 10 de outubro de 2010


" Se acelero os passos sigo a voz do meu coração" (Detonautas)

É sempre mais fácil agir com intolerância do que sentar, conversar e entender a razão dos fatos terem tomado aquele rumo. É mais fácil fechar os olhos do que tentar ver a verdade e entendê-la, ou ao menos buscar isso.
É mais fácil julgar, rir, continuar andando, olhar para o alto, tapar os ouvidos, do que abrir o coração e, realmente, entender as pessoas e as causas que as fazem desistir.
É bem mais fácil complicar.
É mais fácil impinar o nariz do que admitir que você sempre pode aprender, mesmo que você já tenha um conhecimento no assunto. Porque, afinal, somos racionais demais para entender que precisamos uns dos outros.


Não to me referindo a ninguém. O que eu escrevi serve, antes de tudo, para mim mesma. Tenho consciência disso, mas nem sempre me lembro que para que seja real, é preciso colocar em prática, todos os dias.
Talvez seja esse o próximo passo. Um próximo degrau.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010


Hoje estou aqui para dizer que estou muito feliz por saber que certas pessoas andam visitando meu humilde blog. Fico mais feliz ainda em saber que mostram meu blog para seus amigos! Valeu, hein!
Muito bacana saber que mesmo as pessoas não gostando de mim entram aqui para ver as coisas que eu escrevo. Se o conteúdo é bom ou não aí eu já não sei, afinal, as pessoas não comentam!
Mas, considero bem legal que posso compartilhar pensamentos até com as pessoas que querem distância de mim, mas que procuram meus textos para me conhecer um pouco melhor.
Só não precisa ficar com vergonha! Se eu receber comentários contrários do que eu penso, eu nao vou chorar e nem ficar magoada. Eu até vou pensar no assunto, e quem sabe eu nao mude de ideia? Pois é, sou meio "metamorfose ambulante" mesmo e nem tenho medo de parecer indecisa.
O bom é que blog não é como orkut que você vê o nome da pessoa que te visitou, assim, não se corre o risco de inibir ninguém e ninguém deixar de entrar aqui por eu pensar que a pessoa se preocupa com a minha vida ou quer virar minha amiguinha. O máximo que eu tenho é um contador de visitas, que nem é tão eficiente assim. Acho que vou mesmo querer ficar na curiosidade.
No mais, é isso. Gosto de escrever, principalmente pra mim mesma. Criei um blog com o intuito de desabafar, reclamar, declarar, fazer algo útil, guardar instantes e sentimentos que já passaram. Compartilhar com as pessoas é legal pra mim.
Geralmente quem me odeia vai me odiar mais ainda e quem gosta de mim vai continuar gostando, porque aqui, não escrevo nada daquilo que eu nao acredito, nao penso, nao sinto. Não me sentiria nada bem em entrar aqui e ler meus textos, com a sensação de que nao foi eu quem escreveu.
A Aline Lima do blog é a mesma Aline Lima que você encontra no terminal, dá uma olhadinha e disfarsa. Ou aquela que você dá bom dia e boa tarde. Ou aquela que você já deu um abraço e foi embora.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

?


Me deu uma vontade imensa de escrever hoje, mas escrever o quê?
Hoje não estou nervosa, e, geralmente, quando estou nervosa consigo escrever sem problemas. Mas, será que só se eu estiver bem fula da cara consigo escrever algo que saia dos rascunhos?
Como sou uma pessoa bem dramática, vou ficar aqui escrevendo sobre minha vida.
Ultimamente tenho estado muito bem! Está frio e isso me deixa com o bom humor em alta! As vezes guardo todo meu bom humor pra mim, coloco meu casaco e saio.
Dias quentes me deixam nervosa, com falta de ar e com saudade, muita saudade, de me entupir de roupas, muitas roupas.
No inverno consigo levantar 5:30 da manhã com bom humor, com vontade de fazer as coisas com ânimo e tudo mais. Sinto frio, muito frio. Consigo ser feliz com o nariz vermelho e doendo, além de muito vento no meu rosto todo.
Já fiz questão de deixar a janela do ônibus aberta só para o vento me congelar, de verdade.
Não gosto de reclamar do frio. Se eu reclamar, é só da boca pra fora, por puro costume de dizer: "nossa, que frio!!!". Mas, no fundo, eu gosto é de reclamar do calor, porque é ele que realmente me incomoda. Também não gosto muito da cara de bunda das pessoas quando elas saem de casa num dia forte de inverno; não tá feliz? volta pra casa, toma um chá quente e melhore.
Sem contar que qualquer comida é boa no frio! Água gelada é uma delícia, gelatina faz a gente tremer, sopa é sinônimo de perfeição. Pera lá, a sopa da minha mãe é sinônimo de perfeição. Já tomei muita sopa ruim, como a do meu pai por exemplo. Tadinho, ele bem que se esforça, mas não dá pra disfarsar o desastre.
Pelo menos, na minha sopa, nunca teve uma mosca.
Aliás, no frio as moscas somem, é tão bom.
Parece que os pernilongos explodem, e, finalmente, a gente dorme em paz.
Dormir...
Dormir no frio é algo extremamente maravilhoso, pelo menos pra mim.
Eu nao faço a mínima ideia porque estou escrevendo tudo isso e aposto que você, meu leitor fiel, também não. hahahaha. Faz parte.
Então é isso. Minha vontade de escrever já acabou, então vou parar, antes que fique chato.
Beijo do gordo, uou.

(obs.: gostei da coruja, por isso ela ta ai.)