segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Nem sempre consigo ser "racional". Como já ouvi falar, somos mais culturais do que racionais.
Eu bem que podia esquecer tudo. Dar um lindo sorriso e deixar tudo passar.
Racionalmente falando, isso seria o mais certo, sensato, e inteligente a fazer.
Eu, como uma teimosa infantil, consigo, no máximo, olhar torto. No fundo, sei que não há futuro para tanta babaquice, mas, nada me faz mudar de ideia nesse momento.
Não consigo sorrir só pra agradar. Nem beijar cara de pau. Gosto de falsidade é péssimo e eu prefiro bala de hortelã.
Isso pode sim ser encarado como falta de maturidade.
Sinceramente nao tenho a obrigação de crescer tão cedo... E, por menor que seja o significado, melhor ser criança do que metidinha a adulta.
Legal é sorrir pra todo mundo. Difícil é gostar mais da metade!
To longe de ser melhor que alguém.
Mas to longe de ser quem eu nao sou pra agradar gregos e troianos.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010



Dia cheio.
Cheio de stress, coisas chatas, trabalho, pessoas falando no teu ouvindo...
Dias que o cansaço domina... Bate aquela vontade de dormir e não podemos...
Bate aquela vontade de colocar a roupa mais confortável do mundo... Sendo feia, bonita, longa, curta...
Aquela vontade de tirar o calçado e deixar o pé respirar, livremente... No aconchego de nossa casa...
Dias em que as horas se arrastam e o maior sonho é estar na sua cama, esticadão, e esquecer de toda correria do dia...
Dias em que tudo ao seu redor parece estar indo rápido demais e quando você quer um abraço, todo mundo já foi dormir...
Obrigada Deus por estar ao meu lado e me fazer descansar nos momentos em que tudo está correndo demais...
E mesmo que nao haja ninguém para abraçar, eu sei que em Ti posso descansar... Posso te contar como foi meu dia, todos os problemas que eu tive que enfrentar... Todos os desafios que eu tive que vencer...
E agora, no fim do longo dia, posso deitar em Teus braços e descansar segura... E me renovar...

Me renovar porque amanhã começa tudo de novo e graças a Ti eu terei forças para enfrentar tudo outra vez...
Obrigada por estar comigo, por ouvir meus desabafos e jamais me deixar... Jamais me abandonar... Jamais fraquejar e ter dúvidas que me ama, imensamente... Sem igual...
Eu te amo Pai ♥
"Tu és a paz  pros cansados... Tu és"

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Agora me bateu uma saudade imensa daquilo que nem vivi ainda.
Do vento que ainda nao senti no rosto
Do abraço que eu nao ganhei
Da chuva que nao caiu
Da areia que eu nao senti nos pés
Da água me tocando...
Senti saudade do pôr do sol que eu não vi e da música que eu nunca ouvi antes...
Senti saudade daquele dia... Aquele... que eu nem sei se vou viver...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Chega uma hora que dá mesmo vontade de jogar tudo pro alto e sair correndo.
Vontade de não olhar pra trás pra ver o que aconteceu... Tocar o barco e esquecer das coisas que nos fazem mal, até altas horas da madrugada!
Eu, sinceramente, to cansada desse lenga-lenga.
Uma hora qualquer vou acabar enlouquecendo, mas antes que isso aconteça, aplico em minha vida alguma lei que deixe perto de mim só aquilo que me faz bem! Um dia eu chego lá.
As vezes acordo com aquela assim: "Vou fazer uma reviravolta na minha vida!". No dia seguinte, tudo continua igual.
Então... Quando eu já to sem ar, nervosa pra caramba, nao aguentando mais... Eu saio!
A verdade mesmo é que eu já to de saco cheio com meia dúzia de coisas que acontecem sempre.

 DE SACO CHEIO!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Toque de felicidade

Solidão.
É o que eu senti, durante todo o tempo que estava lá, sentada na areia...
Solidão acumulada, até a tampa, transbordando.
Caminhando, sozinha no espaço, sozinha no tempo, sozinha por dentro, por fora, de todos os lados.
O sol estava brilhando de um jeito diferente. Sem queimar, sem ferir. Brilhando, simplesmente.
O mar agitava-se com paciência, sem pressa das ondas irem embora, para longe de mim... Agitavam com um ritmo confortável, acolhedor...
Sentei e fiquei contemplando minha solidão. A essa altura, já era uma doce solidão. Solidão aconchegante, onde, mesmo estando sozinha, eu estava cheia de sentimentos que me envolviam, me faziam ficar ali e esquecer o resto do mundo.
O melhor de tudo, era o vento... Por mais sozinha que eu estivesse, o vento vinha, me tocava levemente, levava meus pensamentos embora e depois voltava, trazendo consigo toda a felicidade que eu senti naquele momento... E eu senti. Senti de verdade, senti intensamente... Senti tudo aquilo e fui feliz.


Acordei com a sensação de saudade, saudade  e vontade de voltar para lá, mesmo sozinha, mas com o toque de felicidade que só existe dentro da areia, do mar, do vento, de mim e da minha doce solidão...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Melhor do que amar... é amar quem te ama. E não vem com essa de amor a primeira vista.. Meu amor por você vai além da primeira impressão... Além do primeiro olhar, do primeiro beijo...
Meu amor vai além dos problemas e é maior que todas as dificuldades!
Meu amor é idiota. É bobo. Teimoso. Gentil e precioso.
E por mais egoista que eu seja, como ser humano, não quero pensar só em mim... Não quero fazer só o que me agrada e nem estar em uma linda bolha vazia de tudo, cheia de mim.
E por mais difícil que seja o meu dia, é o meu amor por você que me faz sorrir ao telefone, me faz sorrir ao te ver e sentir o amor que há em mim, pra você ♥

"Obrigada por não me deixar ir
quando eu disse: 'me deixe ir' "

Obrigada por estar ao meu lado, até nos momentos mais confusos ♥

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Sabe...
Tem tanta merda acontecendo, que, sinceramente, eu só consigo dar risada!
Não consigo entender como, nessas situações, meu humor parece que fica ainda melhor...
É o que? Pra rir ou pra chorar?
Então tá, obrigada por tudo, mas o meu humor, não tem preço ♥

"É pra rir ou pra chorar?
É pra ir ou pra voltar?
Pra seguir ou pra parar?
Pra cair ou levantar?
É pra rir ou pra chorar?
Pra sair ou pra ficar?
Pra ouvi ou pra falar?
Pra dormir ou pra sonhar?
É pra ver ou pra mostrar?
Aplaudir ou protestar?
Construir ou derrubar?
Repetir ou transformar?
É pra rir ou pra chorar?
Pra se unir ou separar?
Agredir ou agradar?
Pra torcer ou pra jogar?
Pra fazer ou pra comprar?
Pra vender ou pra alugar?
Pra jogar pra perder ou pra ganhar?
Dividir ou endividar?
Dividir ou individualizar?
É pra rir ou pra chorar?!"
Gabriel o Pensador

=(

Seres humanos? Arredios por natureza?

Desde de quando falta de respeito é da nossa natureza?
Desde quando tratar os outros com falta de educação é desculpas pelo stress do dia a dia?
Se seu dia não amanheceu bem, o que é que as pessoas têm com isso?
Umas das coisas que eu fico pensando, é porque descontamos nos outros os nossos problemas? Você fica feliz por magoar alguém, só porque você está magoado?
Pois é, se o trânsito tá horrível, o seu companheiro de trabalho não precisa levar uma patada!
Posto de saúde é o lugar onde podemos encontrar os melhores exemplos disso! Enfermeiras carrancudas, cheias de rugas de mau humor... Te tratam como se tivessem fazendo um favor pra você. Fazem a maior da burocracia onde seria tão simples resolver as coisas. Empurram pra um, empurram pra outro e lá se vai nossa manhã de segunda-feira.
O pior é que as pessoas de boa vontade acabam sem muito espaço pra agir e fazer seu trabalho como deve ser feito... Tem sempre alguém pra impacar!
Na verdade, não basta estar doente, você tem que ter paciência, muita paciência...
Eu detesto mau humor. Detesto enfermeiras impacadas. Detesto atendentes cavalas.
E não vem com essa de que ser humano é arredio por natureza. Pra mim, isso tem é outro nome!
É claro, sempre têm aquelas que te tratam bem demais, os médicos queridos e tudo mais... Mas é foda te tratarem com impaciência e arrogância...
Por isso que tem que pensar trezentas mil vezes antes de ficar doente... principalmente se você precisa usar o sistema de sáude público.
Saudade daquelas enfermeiras fofinhas, gordinhas, de óculos e coração bom =/

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Sabe que as vezes me pergunto profundamente porque as pessoas excluem tanto umas às outras.
Mesmo nós, seres dependentes uns dos outros, insistimos em achar que somos bons o suficiente para não precisar de ninguém. Para falar todos os "defeitos" que os outros têm e deixar os nossos de lado, com o nosso nariz impinado, achando que somos demais.
Achamos que os outros nunca serão bons o suficiente pra nos acompanhar, fazer parte do nosso ciclo de amizades.
Seres tão limitados. Isso. Somos tão limitados que, quando ficamos doentes, precisamos de ajuda para ir ao banheiro!  E depois de tanto precisar, simplesmente ignoramos todas as pessoas que pensam diferente...
Eu nao gosto de piada de nordestino. Não gosto de piada de negro. Não gosto de piada de português e nem de loira.
Não vejo a menor graça ridicularizar a diferença, só porque achamos ser melhores... Só porque o nosso cabelo é mais liso, o nosso nariz é mais fino e a nossa mente é mais fechada.
Não consigo entender como o ser humano pode ser tão ridículo, tão pequeno e ainda se acha o máximo.
Não consigo entender porque a diversidade não é encarada como algo tão legal... Não precisamos concordar com tudo, nem devemos, acredito. No mínimo, deveríamos um pouco mais de respeito. Parar de achar que rir dos outros é legal e olhar pra nossa própria bunda suja!


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

"Prometa que eu serei pra sempre seu. Prometa que não dirá outra palavra."

Promessas, promessas, promessas, promessas, promessas.
Num toque de amor e de insegurança a gente escuta uma promessa e se sente aliviado por dentro, como se amanhã não fosse, realmente, chover.
Pra dizer bem a verdade, eu também já prometi e acabei não cumprindo. Seja por descuido, esquecimento, falta de vergonha na cara ou algo assim.
Mas, por mais desmazelada que eu seja, por mais desastrada e inconsequente, no fundo, eu nao gosto de sair falando pelos ventos, como se as pessoas não tivessem sentimentos.
Eu nao gosto de dizer algo que amanhã já não sei se vai ser aquilo.
Sério, me desculpe se eu já fiz isso, espero mesmo que você tenha me corrigido pra eu nunca mais fazer isso, nem por pensamento.
Agora, quer saber algo que realmente me magoa e por um bom tempo?
É ouvir algo hoje e acordar amanhã, sem saber se aquilo ainda está na validade.
É ouvir algo hoje e dali a uma semana, não saber se eu ainda posso me apoiar naquilo ou ficar aliviada por saber que as coisas não mudaram de uma hora pra outra.
Então, na boa... Não me diga nada, NADA, que você acha que vai mudar de ideia.
Não me fale algo que você acha bonito só pra me agradar. Não me diga que as coisas não mudam, por que elas mudam, o foda é quando mudam pra pior.
Minhas promessas continuam em pé. Minhas POUCAS promessas continuam valendo.
Minhas vontades também, minha insegurança também e a merda dos meus medos também.

Poxa vida!

(Wagneeeer, eu te amo seu lindo!)