quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

"Prometa que eu serei pra sempre seu. Prometa que não dirá outra palavra."

Promessas, promessas, promessas, promessas, promessas.
Num toque de amor e de insegurança a gente escuta uma promessa e se sente aliviado por dentro, como se amanhã não fosse, realmente, chover.
Pra dizer bem a verdade, eu também já prometi e acabei não cumprindo. Seja por descuido, esquecimento, falta de vergonha na cara ou algo assim.
Mas, por mais desmazelada que eu seja, por mais desastrada e inconsequente, no fundo, eu nao gosto de sair falando pelos ventos, como se as pessoas não tivessem sentimentos.
Eu nao gosto de dizer algo que amanhã já não sei se vai ser aquilo.
Sério, me desculpe se eu já fiz isso, espero mesmo que você tenha me corrigido pra eu nunca mais fazer isso, nem por pensamento.
Agora, quer saber algo que realmente me magoa e por um bom tempo?
É ouvir algo hoje e acordar amanhã, sem saber se aquilo ainda está na validade.
É ouvir algo hoje e dali a uma semana, não saber se eu ainda posso me apoiar naquilo ou ficar aliviada por saber que as coisas não mudaram de uma hora pra outra.
Então, na boa... Não me diga nada, NADA, que você acha que vai mudar de ideia.
Não me fale algo que você acha bonito só pra me agradar. Não me diga que as coisas não mudam, por que elas mudam, o foda é quando mudam pra pior.
Minhas promessas continuam em pé. Minhas POUCAS promessas continuam valendo.
Minhas vontades também, minha insegurança também e a merda dos meus medos também.

Poxa vida!

(Wagneeeer, eu te amo seu lindo!) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário