terça-feira, 28 de junho de 2011

"Estou voltando para o começo..."

Me pego pensando que, quando eu parar para pensar de novo, toda e qualquer situação já vai ter se transformado. E não importa o que eu faça, uma fotografia sempre vai mostrar o que eu já não tenho mais. Sim, o momento que não é mais meu... Posso até guardá-lo na memória, e pensar nele um pouquinho todos os dias para que ele não perca o brilho e eu o esqueça... Mas no fundo sei que já não o tenho mais. (17:17)
E aquele momento feliz, de cumplicidade não declarada, já passou e ficou pra trás. Nem em um pedaço de papel ele está, eu não o guardei.
Aquele sentimento doído e imenso já não é tão grande que não possa passar pela porta. Tanto é que ele se foi, enquanto eu dormia talvez... Enquanto eu pensava que ele estava ali, ele partiu de mim. E não sinto saudade. Mas ele se foi, e minhas lembranças jamais vão ser iguais a sensação de ter esse sentimento ao meu lado.
No começo pensei que seria o tempo todo. Hoje, no começo de novo, sei que se foi e não volta.
E esse é o momento de se preparar para sentir de novo? Com menos sofrimento e mais sabedoria? Com menos entusiasmo e mais "pé no chão"?
Me pego pensando que, quando eu parar para pensar de novo, toda e qualquer situação já vai ter se transformado...
É estranho ter que se acostumar que tudo é inconstantemente real. E não importa se você segura forte com as mãos... Uma hora você precisa abrí-las e empurrar a porta... Abrir os olhos e ver que, assim como as folhas caindo de novo no próximo outono, tudo volta ao começo.




"Vim te encontrar, te dizer que eu sinto muito
Você não sabe quão adorável você é
Eu tive que encontrar você, te dizer que eu preciso de você
E te dizer que eu te deixei de lado
Me conte seus segredos e me pergunte suas dúvidas
Oh, vamos voltar para o começo" 
(The Scientist)

Nenhum comentário:

Postar um comentário