segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O ano termina e começa outra vez...



Mais um ano vai embora e é o momento de recomeçar...
Tenho grandes planos para 2013 e desejo profundamente que seja um ano de grandes conquistas...

Em 2012 pude crescer muito. Tive a oportunidade de passar por momentos difíceis e incríveis. Pude realizar um grande sonho e tive a chance de evoluir um pouco mais.
Descobri coisas incríveis e fui capaz de me conhecer em meio à tanta pressão.
Tive momentos que me fizeram ter vontade de desistir, de mudar de direção, de sair gritando sozinha e deixar toda essa loucura para trás.
Mas pude perceber o quanto amo minha vida, o quanto eu sou feliz e que nesse tempo estive correndo atrás dos meus sonhos... 

Aconteceu tanta coisa incrível!
Esse ano participei do Lip Dub. Foi demais. Ganhamos o concurso nacional e foi incrível.
Fiz vários trabalhos como repórter do telejornal da universidade, o que me fez ter a certeza que quero trabalhar mesmo com isso. (Exemplo: Descobrindo Curitiba - Rua XV).
Pude fazer grandes amigos e me divertir muito com eles.
Foi o ano em que realizei o sonho de trabalhar com crianças com câncer. Pude entender ainda mais como a vida é única. Pude ver de perto o que é ser feliz e como tudo que vivemos é precioso. Esse é um sonho lindo que pretendo levar adiante, de coração.


Foi, também, um ano imensamente difícil. Tive vários momentos de tristeza e muitas vezes me senti perdida em meio a tudo que eu estava vivendo. 

Infelizmente esse ano tive que dar um tempo com o teatro. Dói ter que me afastar e sinto muitas saudades... Estar longe me faz sentir que existe um buraco que somente a magia dos palcos é capaz de preencher. Não quero parar com o teatro, pois somente ele é capaz de provocar em mim a ansiedade boa, o medo gostoso e a segurança de estar seguindo o meu coração.
Não sei se em 2013 vou conseguir voltar, mas espero de coração que sim.




E mesmo em meio a tanta correria, comecei a escrever um livro! Siim, um livro meeeu!
Estou empolgada com a  ideia e penso muito nas personagens. As vezes estou pensando na vida e fico planejando a vida deles. Tenho um amo tão grande por cada um, é difícil me separar quando preciso me concentrar em outras coisas. Claro, não terminei e falta muito. Não imaginava que seria tão difícil, mas está sendo delicioso!

E foram tantas coisas que Deus me permitiu viver que realmente teria que fazer um post imenso para contar tudo. Só tenho a dizer que esse ano aconteceu como tinha que ser e que sou grata por ter passado por tudo. Sei que tenho grandes desafios para superar e me cobrar quando começar a pensar que posso não conseguir... Mas 2013 vai ser um ano incrível. É tempo de correr atrás, de colocar o coração e a mente para trabalhar pela conquista de tudo de bom que está por vir.

Amo a vida. Amo estar aqui e ser capaz de ver que tudo é um espetáculo maravilhoso.

Que venha 2013... Com saúde e paz. Continuo colocando meu coração no que faço e sei que é a melhor escolha que eu poderia fazer.

2013 vai ser demais!


sábado, 15 de dezembro de 2012

Não abandonei o blog

Estou aqui para me defender e dizer que não esqueci meu blog amado!
Nas últimas semanas minha vida foi uma correria imensa!
Fim de semestre, trabalhos, provas, sono atrasado e tudo isso que universitários passam, não tem jeito.
Mas eu continuo pensando no blog e nas coisas que quero escrever por aqui...

Agora já estou de férias da facul e isso significa que posso respirar!
Esse ano a faculdade foi uma correria total, mas ano que vem o bicho vai pegar mesmo!

Estou me preparando para ser, finalmente, uma jornalista...
É claro que ainda não estou pronta, mas estou empolgada para estar em breve.

Sinto muita rejeição dos jornalistas mais velhos na profissão com a gente que está chegando... As pessoas esperam que a gente saia da faculdade sabendo tudo... Difícil né? Fala sério!
Mas ao mesmo tempo tenho consciência que somente a vivência é capaz de trazer o que o jornalista recém-formado não tem.

2012 foi um ano que me fez refletir muito sobre o jornalismo em si... Em certos momentos tive crises de existência e cheguei a pensar que poderia estar em uma profissão estranha pra mim... Mas isso foi pura influência de alguns jornalistas rabugentos que eu conheci... Sério, não quero ser assim! rsrsrs

Fiz muitas decisões nesse ano... E muitas delas demorei pra decidir... 
Já escolhi as áreas em que quero atuar e não pretendo mais me desviar do foco. Investir no que eu não gosto só me frustra.

Em 2013 espero que eu possa delinear caminhos bem melhores que esse ano e consiga ser feliz com isso.

Não prometo dedicar muito muito muito tempo ao blog... sendo realista: sei que tudo vai ficar mais corrido...

Mas pretendo estar por aqui assim que tiver um tempo... Espero que isso seja mais do que estou imaginando! rsrs

Em breve volto para desejar feliz natal e ano novo... Beleza pura?

Abração!

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Se a vida está ruim...

Tenho algo sincero para dizer, espero que me ouça com atenção.

Se a vida está ruim e tudo parece cansativo, MUDE.

Se a vida está cinza e tudo não parece evoluir, TRANSFORME.


Saia do lugar e olhe para si. Você é a mudança que precisa.

Você é quem deixa a vida ser tão azeda e tudo está ruim porque você só sabe reclamar.

Por favor, faça um imenso favor para todos nós: Vá ser feliz, de uma vez por todas.


segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Sementes

Um dia um médico atencioso me disse que, como futura jornalista, tenho que tomar muito cuidado com as coisas que eu falo e escrevo... Ele explicou que palavras são como sementes e que isso significa que vou plantar coisas boas ou ruins nas pessoas.
Pensei muito em tudo aquilo que ele disse e acabei entendendo que diariamente plantamos sementes em nosso ambiente de trabalho, de estudo, de convivência em geral.
Desde então, venho percebendo as sementes que eu planto e que as pessoas plantam ao meu redor.
Como é triste ver que tantas semestes geram frutos podres. Sementes amargas e ocas são lançadas a todo momento e perdem a chance de somar para ambientes e pessoas evoluírem.
Essa história de semente me fez pensar em como somos tão inexperientes com o relacionamento humano. Como nós nossos impacientes, intolerantes, ignorantes, azedos e, muitas vezes, incapazes de admitir tudo isso.
Já tive a oportunidade de me relacionar com pessoas azedas, frias, amargas, sem vida. Pessoas que não sorriem, não sabem o que é ter um dia bom no seu ambiente de trabalho. Profissionais que conhecem quase que perfeitamente suas técnicas para realizar as tarefas diárias e orgulham-se pela competência em fazer tudo rapidamente... Mas muitas vezes pessoas que não sabem o benefício de um 'bom dia' e a beleza de ter amigos e sorrir entre um problema e outro.
Por outro lado, estive com pessoas grandiosas de coração em um nível que suas sementes eram contagiantes. Convivi com pessoas com uma humanidade incrível e que irradiam paz interior.




Quando estive ao lado de pessoas amargas, eu cresci bastante por perceber como a vida é bonita do outro lado da janela e como esse stress todo prejudica o resultado final.
Mas ao lado de pessoas que plantam boas sementes eu aprendi mais... Aprendi como existe gente capaz de inspirar com um sorriso. Pessoas que te ensinam com prazer, pois sabem que um dia precisaram de um ajudinha também.
Aprendi que boas sementes geram relacionamentos bons em ambientes que as vezes pode parecer hostil, mas que, com boas sementes e bons frutos, transformam-se.


terça-feira, 30 de outubro de 2012

Cérebro derretendo

Sim, sou do tipo que reclama quando está calor (:

A culpa não é minha se o mundo está pegando fogo (é?).

Com o calor eu viro outra pessoa: não aguento de sono em todos os momentos do dia, fico inchada e mole.

Sem contar a sensação de que meu cérebro está derretendo.

Ó céus... Queremos sorvete :)


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Não nascemos sabendo

Acredite: Não nascemos sabendo.

Por uma questão de falta de paciência e saco cheio, muitas pessoas acham que devemos nascer sabendo.
Mas não. Não temos esse dom.
Infelizmente o conhecimento ainda terá que ser passado de um para outro, ainda não é possível nascer com tudo isso acoplado.
Digo isso porque, no dia a dia, poucas pessoas gostam de ensinar.
Quando você está aprendendo uma nova profissão tem dificuldade de entender algumas ideias, mas quem já está nisso há um tempão nem sempre tem o cuidado de ser generoso e transmitir o que sabe.
Realmente acho isso um problema. Pois quem não sabe continua não sabendo e quem sabe se estressa por não ter paciência pra ensinar o novato.


Quem está aprendendo tem que engolir milhões de sapos e grosserias... Afinal, quem pode explicar não gosta e diz as coisas de qualquer jeito. A questão é que, dizendo as coisas de qualquer jeito, você não estará ensinando e o novato não vai entender, ou seja, vai ter que perguntar de novo.
E pra quem já não gosta de ensinar de primeira, a segunda pergunta parece faísca em tanque de gasolina.
Eu, que no momento ocupo a condição de aprendiz, tenho que ralar pra entender coisas que, pra um profissional experiente, parece óbvio demais pra explicar.
Acho que falta a cultura do “senta aqui que eu te ensino”.
Ou, falta tempo.
Na correria rotineira dedicar um tempo para ensinar quem não sabe parece luxo. “Mal tenho tempo para fazer o meu trabalho e anda tenho que ficar ensinando isso tudo para outra pessoa?” talvez seja esse o pensamento.
Mas, continuo repetindo que não nascemos sabendo. Ou as pessoas respiram, sentam e ensinam, ou todo mundo se estressa e o aprendizado vai se tornar uma experiência ruim.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

"Nos deram espelhos e vimos um mundo doente..."


"Perdi 5 quilos, estou tão feliz."

Essa frase eu ouvi da boca de uma menina de uns 15 anos, super magra, falando alegremente para suas amigas (provavelmente da mesma idade).

Sei que 9 em 10 mulheres sonham em perder peso. Sei que as capas de revistas estampam mulheres-lindas-magras que indicam como perder 12kg em 20 dias.
Sei que as vitrines das lojas mostram roupas descoladas que só cabem em gente de pouca bunda e muito osso.

É uma realidade, não tem como negar. As pessoas querem ser magras e fazem loucuras para perder peso.
Mas me pergunto onde isso vai parar.
Sinceramente eu me assustei ouvindo a menina dizer que estava feliz por esse motivo e olhei para trás para ver quem era a pessoa. Quando eu vi o físico da menina, me assustei ainda mais.

Até quando isso vai ser a nossa realidade?
É ruim saber que muitos jovens são doentes para atingir uma beleza inexistente.
Sinto muito ao saber que meninas são capazes de ficar o dia inteiro com fome, pelo fato de quererem ser tão magras quanto as modelos esqueléticas da televisão.

Existe a busca incessante por uma beleza que não é real, não é natural e jamais será saudável.

Não seremos hipócritas ao dizer que não queremos ser magras. Todas as mulheres querem ter um corpo bem modelado e uma cintura fina. Eu não sou hipócrita e afirmo sim que eu gosto de ser magra. Sempre fui pequena (em todos os sentidos) e sou feliz assim.

Mas é doentio viver para isso. É doentio deixar de viver por isso.

Eu não tenho palavras para expressar o quanto isso me soa assustador. Como é horrível ver que meninas de 15 anos têm como referência esse tipo de atitude que, certamente, viram na televisão ou ouviram as conversas da mãe com as amigas.

Me pergunto onde isso vai parar. Até quando vamos exigir de nós coisas que nosso corpo não pode oferecer?

Um dia eu estava esperando um ônibus e vi dois cachorros dentro de um quintal. Um era pincher e outro pastor alemão. Os dois estavam brincando e comecei a analisar a cena.

O que seria do pastor alemão se um dia esse sonhasse em ser um pincher?
Ele jamais será um pincher. O pastor tem uma estrutura óssea diferente, pelos diferentes, dentes, olhos e temperamento diferente do pincher.
Ele jamais será magro e pequeno como o pincher e nunca terá o mesmo latido.

Peguei esse exemplo ridículo para nos comparar: quando vamos entender que somos diferentes? Quando vamos entender que a menina da novela tem 50 quilos porque ela é pequena, tem um estilo de vida diferente e que não precisamos ser iguais a ela? Quando vamos perceber que quem nasceu para ser pincher nunca será um pastor alemão?

Sinceramente acho que é tempo de refletir, corrigir e buscar a felicidade. É tempo de rejeitar padrões estúpidos de uma beleza doentia.
Se você quer emagrecer e acha que isso vai te fazer sentir melhor, então busque isso. Mas tenha em mente que nossa vida é pequena demais para perder tanto tempo lutando com isso. Tenha em mente que a felicidade é mais importante que uma balança e que ter saúde (principalmente mental) é muito, muito, muito mais essencial.

"Nos deram espelhos e vimos um mundo doente..."

(Incrível como essa música do Legião me parece tão atual. Triste.)




segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Um livro para chamar de meu

Como sabem, gosto muito de ler.
Infelizmente nos últimos meses eu não conseguia ler nada, senão os livros obrigatórios da faculdade.
Me frustra muito não poder viver as histórias dos livros que tenho interesse. Minha falta de tempo (ou de organização, não sei) sempre me deixam longe dos universos paralelos que eu tanto gosto.
Mas nesse semestre eu resolvi ler alguns livros e deixar o resto pra lá. Foi ótimo, há tempos não me sentia tão bem.
Me envolvi tanto com as palavras e com as histórias em si que resolvi dar continuidade a um projeto que tenho há um tempo.



Comecei a escrever um livro em 2009. Escrevi bastante coisa, mas acabei perdendo meus manuscritos e a vontade de prosseguir com a ideia.
Dessa vez comecei novamente, com personagens e contexto totalmente diferentes. Estou adorando a experiência.
Confesso que achei que seria mais simples, mas escrever um livro não é como escrever 3, 4 páginas de uma história. A gente precisa pensar em amarrar bem os fatos, deixá-los interessantes e com chances de completar outras partes da história com o desenrolar dos acontecimentos.

Confesso que estou me batendo e me divertindo bastante.

Entro em conflito junto com meus personagens, que parecem ter virado parte de mim.

Bem, agora é botar a cabeça para funcionar, as mãos para trabalhar e a mente para viajar :D

Não tenho previsão de quando estará pronto e gosto da ideia de trabalhar sem prazo (pelo menos nisso). Aos poucos vou postando algumas coisas por aqui!

*-*

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ajuda

Hoje quero pedir a vocês algo especial.

Justo com uma equipe, tenho um projeto de Contação de Histórias para crianças com câncer, abrigadas na APACN, em Curitiba.

É um sonho que estou realizando: Poder estar ao lado delas, ajudando, brincando, dando apoio nesse momento difícil.

E, também, no Natal queremos presenteá-las. Por isso precisamos arrecadar dinheiro.

O objetivo da equipe é levar alegria e esperança, além de proporcionar momentos de diversão e distração.

Peço a contribuição de todos. Seja com papel sulfite, lápis de cor ou dinheiro mesmo.

Obrigada a todos. De todo coração!

Conheçam nossa vakinha online:

http://www.vakinha.com.br/vaquinhap.aspx?e=167893

Conheça o projeto:

http://teianoticias.com/naco/?p=1784

Obrigada! *-* Beijões.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Experiência chocante

Nossa, que dia.

Hoje tive uma das experiências mais incríveis e diferentes da minha vida (eu não sei quais palavras posso usar).
Fui conhecer uma penitenciária aqui em Curitiba, que já está desativada, mas que foi capaz de me impressionar de uma maneira que eu jamais havia imaginado.

Foto - Aline Lima

Sofri e senti tristeza ao ver cada cela, cheias de desenhos, fotos de revistas, frases...
Senti um vazio muito grande ao saber que pessoas viveram anos naquele lugar.
Só vendo pra ter noção do que é aquilo.

Depois fui conhecer o Centro de Observação Criminológica e Triagem - COT, que, aí sim, tinha pessoas nas celas e tudo mais.
Tudo isso é muito igual e diferente de quando você vê em um filme. É uma sensação incrível demais, estou sem palavras. Eu olhava aquelas pessoas nas celas, tanto mulheres quanto homens, e ficava me perguntando o que aconteceu...

Tomei coragem e comecei a conversar com uma mulher, que me contou um pouco da sua história, sobre o tráfico de drogas, sobre seus filhos...

Foto - Aline Lima
Tudo ao meu redor estava cercado por grades fortes, por prisões físicas, mas, principalmente, tudo estava cercado por uma prisão psicológica infinita.

Eu não fazia ideia do que as pessoas tinham feito para chegar àquela situação, mas eu queria que elas pudessem se redimir e ir para casa. Naquele momento não existe sorriso, luz ou felicidade. Eu senti tudo, menos esses sentimentos bons, que tranquilizam.

Eu viveria tudo de novo, mas é uma experiência chocante.




quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Dia ruim


"Porque você teve um dia ruim
Você está se sentindo para baixo
você canta uma música triste apenas para mudar isso

Você diz que não sabe
Você diz para mim "não minta"
Você força um sorriso e dá uma volta de carro

Você teve um dia ruim
A câmera não mente
Você está para baixo e na verdade não se importa

Você teve um dia ruim
Você teve um dia ruim"

(Daniel Powter)


Mas é hora de relaxar... Dias ruins também passam!

Mais

Simplesmente porque me envolve de uma maneira...

Eu não quero voltar para a vida real.


"Mais."

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

='/

Me bateu um desânimo da vida agora...

Uma tristeza, um vazio...

Só peço uma coisa: Por favor, não me deixa sofrer de novo.



Estou tão cansada e não sei quanto eu consigo aguentar... A vida em si já está tão difícil.

Que esse sentimento passe com o amanhecer... Que passe com o amanhecer...

='/

Me traduz.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Tinha que vir para o blog

Segunda-feira já tem má fama. Claro, não é por mal, é que realmente a galera acha que segunda é um dia daqueles.
Queremos tudo no mundo: dormir, comer, assistir, ler... Menos encarar uma segunda.
Não tenho lá muitos problemas com esse dia. geralmente estou cansada, mas não fico carrancuda.

Mas, hoje, é um dia especial. Ou melhor, nada especial.

Acordei 5 horas da matina, morrendo. Dormi mais um pouco, acordei pior.
Levantei cambaleando, meio irritadinha... Mas é só tomar um copão de água gelada que fico bem.

Enquanto eu ia pra universidade esse dia já deu sinais de que não seria dos melhores.
O busão lotado, normal, e eu lá no meio da galera. Uau, isso as vezes é uma aventura.
O ônibus chaqualha daqui, pula dali... Isso nunca dá certo.
Eu estava tranquila quando de repente:

- Bléééééé! Cof cof blééééé!

Ui, que nojo.

Não sou uma pessoa muito fresca, mas jogar o café da manhã na minha frente, dentro de um ônibus explodindo de gente, realmente não é o melhor bom dia que alguém poderia me dar.

Sério, quis morrer.

Tenta imaginar a cena: Eu, verde, tentando sair dali.

Sinceramente eu não sabia se sentia pena ou raiva do menininho que passava mal.
Depois decidi de quem sentia raiva: da mãe dele.
Como pode a pessoa enfiar o piá no ônibus lotado, em um lugar que ele nem consegue respirar direito? Deu no que deu.

Um amigo de infância estava comigo, indo pra facul também, e a gente só conseguia dar risada da situação. Mas eu gargalhava. Sério, eu ria pra não chorar.
Poxa, o caminho é tão longo e lidar com aquela situação era algo tão difícil.

Eu ria, ria, ria, ria. Umas pessoas em volta da gente ria junto. Outras fechavam a cara (medo).

Depois disso o dia seguiu agitado... Não sei porque a vida está assim hoje. Loucura total.
Fiz uma lista de coisas para fazer e já tem 10 ítens. Coisas trabalhosas, sabe?



Nunca fui uma pessoa chata com segundas-feira. No domingo a noite bate uma mini-deprê, mas sempre estou disposta a começar a semana bem.

Mas olha, hoje tá difícil.
Espero, realmente, que as coisas fiquem bem. Aff :D

"Hoje eu só quero que o dia termine bem..."

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

A vida é tão rara

"Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma

Até quando o corpo pede um pouco mais de alma

A vida não para.

Enquanto o tempo acelera e pede pressa

Eu me recuso, faço hora, vou na valsa

A vida é tão rara"



A vida é tão rara.


Lenine - Paciência

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Um dia bonito

É um dia bonito até. Céu quase limpo, clima agradável.
A cidade parece estar em seu perfeito funcionamento.
Carros vão, carros voltam.
As casas têm suas janelas abertas, mães levam seus filhos pequenos para a escola.
Na calçada, muita gente anda despreocupada.
Uma garota bonita, com calção curto e blusa colada leva seu cachorro estrassado para passear.
O rapaz de terno e com uma pasta preta anda apressadamente, o semáforo vai fechar.
A fila do mercado demora um pouco, mas a moça do caixa se esforça para parecer feliz e sorri a cada novo cliente que lhe diz boa tarde.
A adolescente apaixonada lê o livro romântico e suspira com os "eu te amo" que as páginas revelam. Sua cabeça simplesmente não está neste planeta. Ela sonha acordada e deseja encontrar alguém para retribuir carinhos.
Os carros passeam pelas ruas anunciando que os sonhos que estão chegando. Sonhos de nata, doce de leite, leite condensado e goiabada.

O dia lá fora realmente parece estar bonito.
A  garota continua ali, deitada na cama esperando a medicação acabar.
Sente um leve desconforto, mas está animada ao pensar que um dia, quem sabe em breve, ela poderia ir lá fora e fazer parte desses dias bonitos.
Há tempos não ia lá fora, só via o sol de longe, espiando pela janela.
Sente vontade de correr, mas suas pernas estão fracas e acha melhor ficar deitadinha, sem ficar tão triste.

A pequena olha toda aquela cidade funcionando e alimenta sua esperança de viver toda aquela perfeição. Mas agora ela vai dormir... O remédio lhe deu sono e ela espera estar disposta para quando esse dia incrível chegar.



"Eu quero dançar... amar... e dançar de novo!"


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Perfeita


Chego devagar e dou passos tranquilos.

Foto: Aline Lima

Não sei exatamente para onde vou amanhã, mas hoje quero muito ficar nesse cantinho escondida.
Sei que amanhã pode ser diferente e que a chuva deve voltar.
Se eu estiver aqui, estarei bem outra vez.
Estou me sentindo completa.
O vento está aqui, as flores estão acordando e tudo parece compôr uma harmonia perfeita.

Uma simples harmonia. Perfeita.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Outro planeta

Eu deveria estar dormindo. Já sei disso.

Já escrevi no blog hoje e voltei com uma vibe bem diferente. Droga, como isso acontece tanto?

Ando meio distraída nos últimos dias. Estou lendo uns livros que me inspiram e me tiram do planeta terra.

Fico lendo o máximo que posso só para ver se a história tem o final feliz que eu tanto desejo que tenha.

Pelo menos nessas histórias o mundo é atordoado, mas, quem sabe, as coisas dão um pouco certo.

Detesto vir para o blog quando estou me sentindo assim.

Sei lá, meus posts ficam meio tristes. Depois leio e não me reconheço neles. Estranho demais.

Mas aqui parece aquela casa da árvore para mim. Sabe o canto para onde você foge quando você tem a sensação de dizer "A" e o mundo entender "B"?

Corro pra cá.

Apesar de fazer tempo que não me sentia meio assim, há tempos que eu não posso colocar para fora.

"- Engula, engula e ficará tudo bem." Diz meu consciente tentando me distrair.

Gosto de escrever porque parece que assim não atinge ninguém. É como se eu tivesse a oportunidade de dizer, mas ninguém precisasse ouvir.

Nasci com a irritante mania de não me acomodar com as coisas que me incomodam. E vou cutucando, cutucando, cutucando... Até a pessoa não querer mais ouvir e mudar o foco da conversa.

Por que eu sou assim?

Sou complicada por querer o mundo perfeito dos livros. Só não consigo colocar em minha cabeça que a vida aqui fora é bem menos excitante.

Nesse momento realmente estou chateada e queria ficar sozinha sentada em um campo bem extenso, com muita grama, um sol se pondo e as estrelas apontando no céu imenso acima de mim.

Queria ficar sozinha ouvindo minhas músicas preferidas em uma praia com o som do mar envolvendo meus sentidos.

Realmente estou chateada a ponto de sonhar em ir para outro lugar...

Sei que isso passa e pela manhã eu estarei com sono e pensando em outras coisas...

Mas neste momento realmente estou me sentindo assim... querendo estar aqui, sozinha, dizendo a ninguém o que se passa comigo.



Se assim me serve de consolo, eu me amo e quero me fazer feliz.

Se assim me serve de consolo, eu me amo e desejo ter um final feliz.

Se assim me serve de consolo, meu amor por mim e por você é grande, mas me olho e sinto que posso me corresponder, independentemente se estou cansada e com vontade de dormir.

E termino dizendo que realmente estou chateada e gostaria de estar sozinha, num banco de uma praça, vendo essa vida estranha passar. Com meus livros, as histórias e a vontade de estar em outro planeta.


quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Ela se apaixonou

Ela se sentia.

A cada frase que ia lendo, sua mente voava longe, voava sem limites.

Sua imaginação construiu um universo, um rosto, um sentimento, um desejo.

A cada palavra, seu coração se tornava uma criança.

Ela estava pronta para ler mais, se soltar mais, gostar mais.

Sua cabeça girava e seu rosto tinha um sorriso diferente.

Ela se apaixonou.

Ela chorou.

Sorriu, amou.

Neste momento sua vontade de continuar ali, escondidinha espiando aquela linda história de perto, é maior que viver sua vida real.



Sua vontade é sair correndo, gritando e mostrando a todos que sim, ela pode ver, sentir, beijar e tocar cada palavra.

Hoje seu coração está inquieto.

Tudo o que ela quer é voltar para esse mundo, onde a dor, o carinho, a transformação, o prazer e o amor são constantes. São reais. São apaixonantes.



segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Ler?

Ler?

Ler liberta.

Há tempos eu não me sentia livre como posso me sentir hoje.

As páginas me levam e tudo se torna novo.

Preciso me libertar mais. Até.


Aline Lima

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Como está!

As vezes tenho a estúpida mania de controlar. Ou tentar controlar.

Controlar as coisas, o tempo, a vida, os sentimentos...

Me pego pensando a maneira como gostaria que a vida fosse, ou que as coisas pudessem acontecer. Me decepciono ao perceber que a situação não saiu como eu gostaria...

Só que todas as vezes que eu simplesmente deixei as coisas acontecerem, tudo fluiu como tinha que ser.

Pode ser que algo não tenha dado certo, mas simplesmente foi, sabe?

Se eu pudesse controlar esse momento, faria ele ser exatamente como ele está.




quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Seu coração está feliz!

Ela tinha uma vida difícil. Acordava cedo, bem cedo. Dormia pouco, trabalhava demais.
Seus dias eram sempre iguais, ela tinha até se acostumado.

Ela tinha sonhos, claro, tinha muitos sonhos.
Mas o dia era sempre igual e pouco tempo lhe restava para sonhar.

Um dia ela resolveu dar um passo de coragem. Sua vida seria diferente.
Decidira deixar para trás todas as coisas que não deram certo. Dessa vez, daria.

Muita gente deu risada de sua ousadia.
Apesar de sua discrição, havia sempre alguém olhando. E duvidando.

Ela teve muitas dificuldades e ainda tem.
Teve que encarar muitos dias de frio e chuva.
Mas, apesar de todo vento, ela buscava aqueles que lhe eram favoráveis.

Hoje sua vida é diferente. Seus dias ainda são cheios, mas a felicidade preenche grande parte do tempo.

Ela está acima das nuvens e seu coração está feliz.


terça-feira, 21 de agosto de 2012

Você não sabe...

Não são roupas, batons, sapatos e bolsas.
O que te faz ser assim não é a marca da blusa que você está usando.
Não é o preço que você pagou, nem a quantia que isso vale.

O que te faz ser diferente é sua maneira de sorrir, de olhar para frente, de pensar na vida.

É sua maneira de olhar para o chão, para o alto, para os lados. Sua maneira de procurar valores e não preços.

É seu jeito de perceber que a vida é mais que uma vitrine. Sua maneira de se preocupar com o que se sente e não com o que se tem.

É sua maneira de valorizar os pequenos sorrisos e buscar sempre os singelos momentos.

O que te faz ser diferente é ser apenas você, sem querer parecer especial... Apenas sentir intensamente e ser feliz.



"Você não sabe que é linda. É isso que te torna linda"

sábado, 18 de agosto de 2012

"Chore, lute! Faça aquilo que gosta!"

A vida é curta. Não precisamos parar para pensar e ver como os dias passam rápidos demais. Todo fim de ano é a mesma frase: Nossa, como esse ano passou rápido.
Sim, a vida é curta demais.
Ontem éramos crianças, hoje já temos milhares de responsabilidades.
Por a vida ser tão breve, acho injusto demais nos dedicarmos para coisas que não nos faça feliz. Não to falando para termos só momentos de lazer e diversão. Estou falando de fazer o que gosta no dia a dia, na rotina, na correria.
Não é todo mundo que consegue se dedicar para aquilo que gosta de fazer. Acho isso uma pena, de verdade.
Vejo que quando as pessoas fazem o que gostam, nos deparamos com profissionais brilhantes, com sorrisão estampado no rosto e uma capacidade incrível de fazer aquilo bem feito.
Sabemos que é difícil fazer sempre o que a gente gosta, mas deixar de correr atrás disso é loucura demais.
Vi uma frase do Einstein que me fez pensar bastante:

"Somos todos geniais. Mas se você julgar um peixe pela sua capacidade de subir em árvores, ele passará sua vida inteira acreditando ser estúpido"

Sério, isso é muito verdade.
Por isso pensei mais ainda na importância de se fazer o que gosta, porque sabemos que a coisa flui.
É importante perceber que, se a vida é tão curta, como podemos insistir em nos dedicar em algo que não tira um sorriso dos nossos lábios?
Por mais difícil que possa ser correr atrás de sonhos, essa frase do Chaplin traduz o que eu penso.

"Chore, lute! Faça aquilo que gosta!"

;)

Já chorei, continuo lutando e garanto: Eu faço aquilo que gosto ♥




quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Motivos para agradecer

Assim como todo mundo neste mundo, minha vida tem altos e baixos, largos e estreitos, doces e amargos.
Nos últimos tempos, algumas coisas "ruins" aconteceram comigo e sei que é normal.
Por uns dias passei um perrengue de tanta saudade. Me bateu uma crise e uma saudade dos meus amigos... Sofri bastante.
Conforme a gente vai crescendo a vida vai tomado um rumo e cada um da "galerinha do colégio" vai para um lado. Sinto muita saudade de todos, mas esses dias eu realmente estava me sentindo bem sozinha.
Depois também aconteceram algumas coisas chatas, mas não quero falar delas.
Com tudo acontecendo, veio a coisa boa: o carinho das pessoas.
Recebi muito carinho de um montão de gente, pessoas que convivem comigo, outros nem tanto...
Isso me fez pensar muito nesses altos e baixos que a vida tem.
Pensei em como sinto falta dos meus amigos, de verdade... Mas como a vida foi generosa e me trouxe pessoas especiais para perto de mim.
Sei que isso parece até natural e deve ser... Mas realmente me importo muito (mesmo) com essa dose de amizade no nosso dia a dia.
Me fez parar e pensar em diversas coisas, inclusive como estava dedicando muita energia para coisas que não me merecem...
Por isso resolvi retomar alguns projetos antigos e reverter meu carinho para coisas que valham a pena de verdade. Um dos meus projetos é contar histórias para crianças com câncer. Gosto da ideia de estar perto de pessoas que gostam de mim pelo que eu sou e eu o mesmo. Gosto da ideia de dedicar tempo e carinho para pessoas que precisam de energias positivas e bom humor por perto.
Com tudo isso, hoje, posso dizer que estou muito feliz. Feliz por ter passado por momentos difíceis que me fizeram refletir e perceber que eu precisava de um motivo para mudar algumas coisas.
Feliz por poder colocar para fora o que eu estava sentindo, depois de guardar para mim por tanto tempo...
Feliz por perceber que as pessoas torcem para o nosso bem, nem todas, somente as que são capazes de doar carinho.
Estou feliz por ter tanta coisa boa em minha vida e ter a oportunidade de perceber isso.

A vida nem sempre é doce, mas hoje ela parece mais bonita!


quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ser quem é!

Certamente não sou a melhor pessoa do mundo. E se um dia alguém me ver assim, é porque está totalmente enganado sobre mim.
Não tenho o rosto mais belo, minha voz não é a mais doce e nem sempre consigo fazer com que ela mantenha o tom. Minha risada não é daquelas que você ri dela, não é divertida.
Não sei compor canções. Já tentei, mas no fim das contas ficaram bem ruins.
Não sou a melhor atriz e acho que nem estou entre elas.

Meus amigos conseguem enxergar uma porção de defeitos em mim e poucas vezes deixaram de me contar o que veem.

As pessoas que não gostam de mim conseguem ver todos os defeitos que eu tenho e os que são potenciais defeitos. Veem bem pouco o que tenho de bom, mas nunca enxergam o que eu consegui melhorar.

Como já disse, certamente não sou a melhor pessoa do mundo.
Não sei se existe, na verdade, alguém que consiga ser assim.

O que sinto é apenas que se quer muita aprovação, mas pouco se pensa no que você sente.
Vejo que todos querem ser lindos e legais, no fundo não conseguem ser felizes.

As poucas pessoas que notei que são felizes, em pequenos  momentos e que cultivam a felicidade como uma planta valiosa, se importam com outras pessoas, mas seguem o que seu coração diz.
Não é um problema ouvir outras pessoas, sabemos que isso nos soma, nos completa e enriquece...
Mas e eu? Me escuto? Me conheço? O que quero?

Acho muito importante termos consciência de nós e, mesmo sabendo que temos que melhorar, não podemos abandonar quem somos para que as pessoas projetem suas vontades!


quinta-feira, 21 de junho de 2012

Preciso desabafar

Sorte minha que tenho um blog para desabafar.
Há tempos que eu estava me segurando para escrever um post tão íntimo. Vamos lá.

Nos últimos meses, muitas pessoas se afastaram de mim. Muitas.
Algumas delas já tiveram minha amizade de uma maneira tão intensa que jamais pensaria que hoje apenas estivéssemos longe.
Outras pessoas estavam conquistando meu carinho, mas foram embora antes que isso pudesse se tornar concreto.

Já tive momentos da vida em que muitas pessoas estavam ao meu redor. Se eu estava sorrindo, lá estavam elas desfrutando da felicidade.
Poucas delas estiveram ao meu lado enquanto eu não queria sorrir. Pouquíssimas delas ficaram ao meu lado quando a felicidade era grande demais, a sensação que me dava era que aquilo tudo incomodava, de alguma maneira.

Outras pessoas eu que me afastei. Não porque não eram boas pessoas, mas eram presentes só enquanto eu tinha algo de bom para oferecer.

Confesso, com um certo pesar, que muitas pessoas simplesmente foram embora. Não ligam, não escrevem e não querem saber como as coisas vão.
Mas desabafo, com certo alívio, que não me sinto insegura com isso, a ponto de querer mudar quem sou para atrair esse povo de novo.

Sei, tenho uma personalidade forte e sou difícil de conviver. Mas eu sou assim.
Temos que melhorar? Sim, eu e você. Mas eu tenho meu jeito de ser e pouco me interessa ter que mudar isso para agradar quem só saber ver o lado podre da laranja.

Preciso desabafar que cansei das pessoas que me amam enquanto minha vida vai bem, mas que me deixam quando eu não quero conversar.
Cansei dessa hipocrisia de que amizade acaba e que isso um dia era evidente.

Amizades verdadeiras não acabam. E se acabam é porque de verdadeiras elas não tinham nada.

Fico triste por saber que tanta gente me queria bem só em determinados momentos... Mas fico aliviada por saber que o tempo filtra tudo isso.

Infelizmente não consigo ser fofa quando eu não quero e nem sorrir quando eu quero ficar calada.
Simplesmente vou tocando a vida e ver, quem de verdade, são as pessoas que eu realmente tenho como amigas.

Sorte minha que, além de um blog para desabafar, não preciso ser hipócrita e nem mentir pra mim mesma!


quarta-feira, 20 de junho de 2012

Incomum

Andando pela rua e olhando para todos os lados.
Me pego analisando as pessoas, sem maldade, sabe?
Vejo centenas de pessoas iguais. Andam iguais, falam iguais, se vestem e penteiam o cabelo da mesma forma.
Não consigo distinguir uma das outras, são os mesmos rostos...
Me assusto ao entender que aquilo é normal. Me assusto ao perceber que todos querem ser diferentemente iguais.
Se isso é bonito pra você, em mim vai ficar bonito também.
Se ela pisca desse jeito, vou piscar também...


Tento entender qual o motivo para esse padrão aceito por todos. Não se questiona, apenas se copia alguém (quem?) e tudo continua como está.

Me assusto ao perceber que as pessoas só querem ser aceitas, da maneira que for...
Não consigo entender qual é a felicidade disso, mas elas querem parecer todas felizes...

Só sei que não quero estar assim: cheia de vontades que não são minhas, falando o que eu não sinto e vivendo como eu não vivo.
Sinto falta de olhar as pessoas e ver que elas são de verdade e não apenas bonecas lindas, mas de plástico.

"Eu quero ser tudo, menos comum, por favor"



sexta-feira, 25 de maio de 2012

Falta tempo...

"Me sinto só...
Mas quem é que nunca se sentiu assim?
Procurando um caminho para seguir, uma direção...
Respostas..."

Nos últimos dias as coisas têm estado complicadas...
Eu já sabia que iria ser assim, mas não sabia como iria me sentir... Não dá para prever né? =/
Ultimamente o tempo tem passado tão depressa que não entendo mais nada...
Raramente temos tempo para pensar sobre a vida, descansar, ver o dia passar...
Os momentos que penso sobre minhas coisas é dentro de ônibus =/

To sentindo uma falta imensa de ter um pouquinho mais de tempo para mim, para ficar tranquila, assistir um filme...

Não entendo essa vida moderna, acho que está tudo errado e o homem vai ficar cada vez mais doente... Não temos tempo para viver, apenas corremos contra o relógio, contra o relógio, contra o relógio...



Parece assim... Pisquei e já é outro dia...
Isso não me faz muito bem =/



Baby, estou sentindo uma falta imensa de você... espero que em breve a gente possa ficar um pouco mais tranquilo... :(


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Existem certas coisas que conseguem despertar em mim um sentimento de raiva tão grande... tão grande...

Sério, certas coisas são capazes de me tirar do sério em menos de 1 minuto.

Como pode isso? >=(

sábado, 19 de maio de 2012

20!

Bem, hoje é meu aniversário! Sim, de novo! 


A sensação de fazer 20 anos (VINTE ANOS!!!) é muito estranha... Não sei explicar o porquê disso, mas me senti assim...
Ontem me deu uma tristeza, um vazio, uma solidão... tudo isso misturado! Fui dormir péssima.
Me senti assim principalmente pelo fato de hoje não ter muitas coisas que eu supostamente tinha há algum tempo atrás... Mas não quero falar mais disso, se passou, então vamos virar a página...


Depois de ficar a tarde inteira na maior deprê, fui dormir e acordei no outro dia, me sentindo melhor!
E então eu olhei para o teto, ao redor e respirei bem fundo... 
Um dia me perguntei a sensação de ter 20 anos... Claro que isso faz tempo, mas nunca me esqueci!
Hoje, depois de respirar fundo, lembrei de ter pensado isso e tive a resposta...
Tenho 20 anos (é estranho escrever isso hahahaha) e já perdi e conquistei grandes coisas... 
Mas cheguei a conclusão que sou a mesma Aline  de 10, 12, 15, 18 anos... Continuo sonhando, buscando, chorando, brincando, pulando e indo atrás do crescimento interior...


Apesar de hoje ter pensamentos um pouco diferentes sobre diversas coisas da vida, ainda me pego olhando as estrelas e pensando o que eu vou ser quando crescer...
Mesmo sabendo que as vezes mudamos de opiniões e atitudes, me sinto a mesma pessoa de todos esses anos... Olho no espelho e percebo que mudei fisicamente, mas me reconheço no mesmo momento.
Ainda sou revoltada com as injustiças dessa vida, ainda choro quando vejo uma criança com fome e sofro quando maltratam um cachorrinho...
Ainda não consigo entender porque tanta gente sofre horrores para ter o que comer, enquanto outros têm um luxo infinito dentro de casa...
Ainda fico indignada quando vejo a triste cena de alguém comendo comida do lixo...
E tantas outras coisas estúpidas que acontecem  nessa vida...
Então...
Vou contar para vocês que a sensação de ter 20 anos é estranha por não estar mais "na casa do 10"...



Mas, apesar de tudo, estou muito disposta a fazer esse ano valer a pena!
Ainda quero descobrir como é fazer 30, 40, 50...
Mas calma, ainda não me acostumei a sair da casa do 10, preciso respirar antes de sair da casa do 20! =D


Aline Lima, 20 anos. hahaha Fui

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Novos projetos!

Há tempos que estou entrando em novos projetos... Sejam eles na faculdade, ou na minha vida pessoal :)

Hoje começamos (eu e mais 9 meninas) a fazer um blog novo!
Calma, não vou abandonar esse meu blog querido, não mesmo! =D

Mas é só um projeto diferente e quero compartilhar com o povo aqui =)

A ideia é 10 meninas escreverem um blog e cada uma postar o que quiser! Acho que vai ser algo bem interessante!

É isso :D Deem um pulinho lá!

www.dezpalavras.blogspot.com

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Eternamente grata!

Apesar da insistência chata de muitas meninas quererem construir um mundo rosa, lá vai a boa notícia: a vida não é assim.
Mesmo que seu quarto seja rosa, seus sapatos sejam de brilhantes, seu cabelo seja chapado todos os dias, me alegro em te dizer que a vida real não é tão tosca desse jeito.

Fico contente em saber e descobrir que não existe essa fórmula para ser feliz. Apesar de muita (MUITA) gente continuar com a ideia do mundo perfeito, só sabe o que é felicidade quem se desgruda desse conceito furado e vai viver a vida expontaneamente.

Não precisamos nos vestir e sentir todos iguais. A beleza está em ser você e nada pode ser mais lindo que sorrir sem se preocupar com tudo ao redor.

Claro, vivemos em uma sociedade onde estamos sendo vistos. Mas isso não quer dizer que a vida precisa parecer perfeita. Só quem já consolou um amigo triste sabe a beleza da fragilidade e a doçura de não sermos de plástico.

O mundo não é rosa! Serei eternamente grata a isso!



domingo, 15 de abril de 2012

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Me deparando com elas...

É incrível como as vezes precisamos cair para entender certas coisas dessa vida.

é incrível também como algumas coisas precisam doer muito para que a gente compreenda como elas são.

Existem pessoas que simplesmente observam... Sabem todas as teorias da vida... Mas nunca caíram e não sabem a dor e o prazer de errar.



De vez em quando é bom pisar descalço em uma pedra pontuda. A estrada é linda, mas as vezes é bom lembrar que existem pedras no caminho!

E eu continuo me deparando com elas, sempre.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Escolha própria

As vezes é preciso tropeçar... Olhar para baixo e entender que o foco deve ser no nosso caminho.

O que está ao redor é importante, complementa... Mas cada passo deve ser uma escolha própria.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Máscaras

Acho incrível como as pessoas parecem mais frescas e mesquinhas com o passar do tempo.
Não sei bem o que se passa, mas eu tenho a imensa sensação de que as pessoas são menos autênticas a cada dia... Parece sempre que elas acordam e pensam: "Quem eu vou querer impressionar hoje? *-*"

A questão é que muita gente me parece uma caixa velha cheia de máscaras...

"Hoje eu vou usar a máscara de pessoa descolada. Fulano vai amar.
Hoje vou usar a cara de triste, as pessoas vão ficar com dózinha de mim.
Hoje vou colocar a máscara de riquinho, os coleguinhas da faculdade vão virar meus amigos."



Sério, isso é um saco.

As pessoas mudam, certo? Certo. Todo mundo muda.
Mas tem gente que muda de personalidade todo dia!!!

Acho a vida tão pequena pra perder tempo querendo ser perfeitinho.
Acho que o tempo passa tão rápido para perder milhares de horas escolhendo uma roupa.
Talvez se as pessoas parassem de tentar parecer autênticas elas realmente saberiam o valor e o significado real dessa palavrinha.