quinta-feira, 21 de junho de 2012

Preciso desabafar

Sorte minha que tenho um blog para desabafar.
Há tempos que eu estava me segurando para escrever um post tão íntimo. Vamos lá.

Nos últimos meses, muitas pessoas se afastaram de mim. Muitas.
Algumas delas já tiveram minha amizade de uma maneira tão intensa que jamais pensaria que hoje apenas estivéssemos longe.
Outras pessoas estavam conquistando meu carinho, mas foram embora antes que isso pudesse se tornar concreto.

Já tive momentos da vida em que muitas pessoas estavam ao meu redor. Se eu estava sorrindo, lá estavam elas desfrutando da felicidade.
Poucas delas estiveram ao meu lado enquanto eu não queria sorrir. Pouquíssimas delas ficaram ao meu lado quando a felicidade era grande demais, a sensação que me dava era que aquilo tudo incomodava, de alguma maneira.

Outras pessoas eu que me afastei. Não porque não eram boas pessoas, mas eram presentes só enquanto eu tinha algo de bom para oferecer.

Confesso, com um certo pesar, que muitas pessoas simplesmente foram embora. Não ligam, não escrevem e não querem saber como as coisas vão.
Mas desabafo, com certo alívio, que não me sinto insegura com isso, a ponto de querer mudar quem sou para atrair esse povo de novo.

Sei, tenho uma personalidade forte e sou difícil de conviver. Mas eu sou assim.
Temos que melhorar? Sim, eu e você. Mas eu tenho meu jeito de ser e pouco me interessa ter que mudar isso para agradar quem só saber ver o lado podre da laranja.

Preciso desabafar que cansei das pessoas que me amam enquanto minha vida vai bem, mas que me deixam quando eu não quero conversar.
Cansei dessa hipocrisia de que amizade acaba e que isso um dia era evidente.

Amizades verdadeiras não acabam. E se acabam é porque de verdadeiras elas não tinham nada.

Fico triste por saber que tanta gente me queria bem só em determinados momentos... Mas fico aliviada por saber que o tempo filtra tudo isso.

Infelizmente não consigo ser fofa quando eu não quero e nem sorrir quando eu quero ficar calada.
Simplesmente vou tocando a vida e ver, quem de verdade, são as pessoas que eu realmente tenho como amigas.

Sorte minha que, além de um blog para desabafar, não preciso ser hipócrita e nem mentir pra mim mesma!


quarta-feira, 20 de junho de 2012

Incomum

Andando pela rua e olhando para todos os lados.
Me pego analisando as pessoas, sem maldade, sabe?
Vejo centenas de pessoas iguais. Andam iguais, falam iguais, se vestem e penteiam o cabelo da mesma forma.
Não consigo distinguir uma das outras, são os mesmos rostos...
Me assusto ao entender que aquilo é normal. Me assusto ao perceber que todos querem ser diferentemente iguais.
Se isso é bonito pra você, em mim vai ficar bonito também.
Se ela pisca desse jeito, vou piscar também...


Tento entender qual o motivo para esse padrão aceito por todos. Não se questiona, apenas se copia alguém (quem?) e tudo continua como está.

Me assusto ao perceber que as pessoas só querem ser aceitas, da maneira que for...
Não consigo entender qual é a felicidade disso, mas elas querem parecer todas felizes...

Só sei que não quero estar assim: cheia de vontades que não são minhas, falando o que eu não sinto e vivendo como eu não vivo.
Sinto falta de olhar as pessoas e ver que elas são de verdade e não apenas bonecas lindas, mas de plástico.

"Eu quero ser tudo, menos comum, por favor"