quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Não nascemos sabendo

Acredite: Não nascemos sabendo.

Por uma questão de falta de paciência e saco cheio, muitas pessoas acham que devemos nascer sabendo.
Mas não. Não temos esse dom.
Infelizmente o conhecimento ainda terá que ser passado de um para outro, ainda não é possível nascer com tudo isso acoplado.
Digo isso porque, no dia a dia, poucas pessoas gostam de ensinar.
Quando você está aprendendo uma nova profissão tem dificuldade de entender algumas ideias, mas quem já está nisso há um tempão nem sempre tem o cuidado de ser generoso e transmitir o que sabe.
Realmente acho isso um problema. Pois quem não sabe continua não sabendo e quem sabe se estressa por não ter paciência pra ensinar o novato.


Quem está aprendendo tem que engolir milhões de sapos e grosserias... Afinal, quem pode explicar não gosta e diz as coisas de qualquer jeito. A questão é que, dizendo as coisas de qualquer jeito, você não estará ensinando e o novato não vai entender, ou seja, vai ter que perguntar de novo.
E pra quem já não gosta de ensinar de primeira, a segunda pergunta parece faísca em tanque de gasolina.
Eu, que no momento ocupo a condição de aprendiz, tenho que ralar pra entender coisas que, pra um profissional experiente, parece óbvio demais pra explicar.
Acho que falta a cultura do “senta aqui que eu te ensino”.
Ou, falta tempo.
Na correria rotineira dedicar um tempo para ensinar quem não sabe parece luxo. “Mal tenho tempo para fazer o meu trabalho e anda tenho que ficar ensinando isso tudo para outra pessoa?” talvez seja esse o pensamento.
Mas, continuo repetindo que não nascemos sabendo. Ou as pessoas respiram, sentam e ensinam, ou todo mundo se estressa e o aprendizado vai se tornar uma experiência ruim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário