domingo, 28 de abril de 2013

Hora de dizer adeus...




Sentir saudade é normal. Todo mundo sente um pouquinho disso quando lembra de algo que foi importante, mas talvez nem exista mais.
Sinto saudade de muitas coisas,  confesso.
As vezes me pego pensando e viajo lembrando das coisas boas que passaram e fazem falta.

Um dos momentos bons que passaram e vai deixar saudade é esse nascer do sol que filmei no ex-sítio dos meus avós.
Digo ex-sítio porque já não pertence mais à minha família, então fomos lá para nos despedir daquele cantinho de céu.



O tempo que estive lá, aproveitei para me despedir de tudo... Não quis chorar e nem sofrer por me separar de algo que vai deixar saudade... Quis aproveitar e deixar para sentir saudades depois.
Fiz algumas fotos e um dia sei que elas vão me deixar um pouco triste. Mas jamais deixaria de viver cada minutinho por pensar que eu iria me sentir triste depois.

Vou sentir saudade.
Saudade do rio, do silêncio, das frutas, do ar com cheirinho de árvore e do céu mais do que azul...

Mas sei que lá nós fomos felizes e torço para que continua assim por onde quer que a gente vá.



Esse texto foi escrito em 03/07/2012

Certeza da sinceridade!

Nos últimos dias andei chorando um bocado.

Estive passando por dias difíceis e sei que eles não terminaram...

Sei também que a vida é assim, mas as vezes preciso me esvaziar de todos esses sentimentos.

Estou um pouco decepcionada com as pessoas. Me sinto um pouco perdida com tantas coisas que estão perto de mim...

Claro que vou ter que aprender a conviver com isso. As pessoas são assim.

Mas me permito ficar triste, sabe?

Sei que esse sentimento também faz parte de nós, então não luto contra isso. Apenas sinto. Saboreio como todas as outras fases da vida.

Gosto de me permitir sentir, mesmo que isso me faça sofrer. Sofrimento faz crescer.

E tudo isso serve para regarmos as sementes que plantamos.

Nesses dias sempre paro para pensar na minha vida, nas escolhas, nas pessoas, nas atitudes e sonhos que me guiam.

Cada vez mais reflito sobre meus valores e a pessoa que estou sendo.

Acredito na verdade dos meus sentimentos. Sei que posso até chorar na hora de dormir, mas sempre vou dormir com a certeza da sinceridade que existe em mim.



segunda-feira, 22 de abril de 2013

Jardim Botânico!

Oi, galera!

Quero fazer uma série de posts com minhas visitas aos parques de Curitiba. Não conheço todos e vou aproveitar a chance para fazer umas fotos e dar uma passeada pela cidade!


Fui visitar o Jardim Botânico no último domingo.
Toda vez que vou lá, fico boba com a beleza de tudo. Adoro aquele "labirinto" que tem na frente da estufa, a pontezinha, as flores, a grama... Enfim, o parque todo é muito lindo.
O Botânico está sempre cheio de gente... Famílias inteiras, grávidas fazendo books, namorados, patos e tartarugas... *-*


Fiz algumas fotos com um celular! O Wag estava comigo e aproveitou para ir aprendendo a fotografar também! \o/

Veja algumas fotos:

















Amei o passeio! O Botânico é encantador ♥

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Bedroom

Olho e vejo cores. Suas cores, tons, variações.
Me vejo em seus olhos. Refletida assim tão te perto, vejo o quanto de mim há em você e percebo como isso é encantador.
Vejo que você me olha. Me olha nos olhos, na boca, nas mãos, nos pés. Me olha e me enxerga como só você pode enxergar. Só você é capaz de ver em mim tudo o que guardo aqui comigo.

Só você é capaz de ver em meus olhos a alegria de eu estar ali, onde quer que seja, ao seu lado.
Só você é capaz de perceber quando simplesmente quero chorar e que preciso de um pouco de tempo para me esvaziar do que me aflige.

Você é a única pessoa capaz de perceber em meus olhos quando não existe nada além de nós. E só você sabe me abraçar e fazer o mundo parar de girar.

Contigo troco olhares confidentes, risonhos, maldosos e amorosos. Contigo olho para a vida, pra frente, pro futuro. 

E quero te olhar a vida inteira.

"Eu não sei parar de te olhar... Eu não sei parar..."

Onde quer que possa me levar

Estou aqui sentada na cama. Olhando pro teto.

Torcendo para que os abraços apertados aconteçam logo.

Sussurrando toda felicidade que me invade.

Querendo tocar, sentir o cheiro, o gosto.

Estou ouvindo esse som e me permitindo ir para onde quer que ele possa me levar.

Estou me expondo, olhando nos olhos e permitindo que o que está em mim possa transparecer.

Esse som está me invadindo. Esse som sou eu. Você pode me ouvir?




domingo, 7 de abril de 2013

Voltar para casa!

Sempre que quero sentir a vida de outra forma, escuto músicas que me levem para outros lugares.
Hoje estava ouvindo uma música que me toca muito. Uma música que tem uma melodia amável, uma voz suave e uma letra linda.
A letra diz que sempre podemos voltar pra casa. Nem sempre as coisas dão certo na vida lá fora e as vezes precisamos voltar... E é incrivelmente especial saber que sempre temos a chance de voltar, de correr de tudo e que jamais estaremos sozinhos.

Sei que sempre sonhamos com a liberdade, com a chance de ir pra rua e tentar, seguir os sonhos e ir embora.

Mas tão essencial quanto ter a sensação de ir é ter a sensação de poder voltar.
É saber que alguém espera por nós e que sempre teremos um ninho para pousar.

E voltar pra casa, nesse caso, não é só 'casa material'. É ter porto seguro para ancorar. É ter um lugar para correr quando tudo resolver ser diferente.

Hoje me senti assim. Ancorada. Em casa. No meu ninho.



Sei que sonho alcançar grandes alturas, mas saber que tenho um abraço apertado sempre que preciso me faz ter segurança para tentar sempre.
Como diz a canção, sempre posso voltar para casa. Mesmo que esteja longe, muito longe...



"Apenas saiba, onde quer que você vá
Você sempre poderá voltar para casa"





quinta-feira, 4 de abril de 2013

Durante minhas pesquisas para o TCC estou tendo contato com um mundo incrível. Pude perceber, até agora, a imensa dedicação das pessoas para apresentarem boas pesquisas e trabalhos relevantes para a sociedade.
O tema que eu e minha parceira de TCC estamos pesquisando é o câncer infantil. Confesso que minha paixão pelo assunto deixa tudo mais leve e quanto mais textos encontro, mais aumenta minha vontade de fazer esse trabalho da melhor maneira possível.
Sempre que vou ler um artigo ou livro de alguém, dou uma passadinha pelos agradecimentos e dedicatórias. Confesso que em quase todas me emociono de verdade ao ver o quão importante é o apoio das pessoas que amamos para ir a fundo em pesquisas em que estamos envolvidos.
Esse processo de amadurecimento pelo qual estou passando não é simples. Várias vezes tenho vontade de ir dormir, ao invés de ler e escrever um pouco mais. Tenho vontade de estar com as pessoas que amo, quando na verdade preciso ficar sozinha e me concentrar no que estou fazendo.
Confesso que nem sempre encaro essa fase com um olhar positivo. As vezes dá aquela revolta de ver todo mundo aproveitando a vida e eu aqui entulhada de coisas para revisar.
Mas ao escolher esse tema, eu tive consciência da dificuldade e do amor que eu tenho pelo assunto. Quando conheci um pouquinho do mundo do câncer infantil tive a certeza de que aquilo faria uma grande diferença na minha vida. Ao trabalhar com as crianças, abraçá-las, vê-las sorrindo e sempre cheias de esperança, tive a certeza de que todo meu esforço não será, jamais, em vão. Poder contribuir de alguma maneira para a melhora na qualidade de vida dos meus pequeninos é um grande sonho para mim. Minha vontade é apenas retribuir a grande diferença que elas fizeram em minha vida, afinal nunca mais fui a mesma depois de ter contato com pessoas tão, tão, tão especiais.
Lidar com o fator vida e morte é um grande desafio. Todos os dias desejo que a vida continue, que elas sejam curadas, que possam ter vidas saudáveis e aproveitem ao máximo essa dávida que é viver. Também já chorei a noite inteira ao perder uma criança. Lidar com a possibilidade de perdê-las é doloroso demais, mas não é que dá para fugir. Infelizmente faz parte do processo.
Mas, além de tudo isso, as crianças me ensinaram, mesmo sem saber, como é lidar com o fator 'esperança'. É sorrir mesmo quando você está com dor, é brincar mesmo quando suas pernas não respondem... É fazer bico diante das dificuldades e abraçar o mais forte possível quando estamos ao lado de alguém que nos faz feliz.
Esperança é esperar. É esperar por dias melhores, por noites mais calmas e por boas notícias. E tudo isso eu só aprendi graças a elas, graças à ternura de seus olhares e a alegria em cada reencontro.
Quando paro para pensar em tudo isso sinto uma imensa vontade de chorar, confesso. Me emociono com a ideia de tê-las ao meu lado e dedicar uma fase importante da minha vida para tentar ajudar a melhorar a vida dos pequenininhos.
Sofro por vê-los em situações difíceis, mas eles me surpreendem ao me ensinarem que não estão preocupados com a doença e que não preciso ficar triste com isso.

Estar vivenciando tudo isso de uma forma tão intensa (que além da importância do tema inclui o stress do dia a dia, a pressão por bons resultados, as várias horas de trabalho por dia e outras coisas que envolvem o tcc) é realmente uma experiência incrível. E tudo isso só é possível graças ao significado que vocês, pequeninos mais lindos do meu coração, têm em minha vida.

Amo vocês ♥